sábado, 30 de junho de 2012

Labirintos

 

de: Carlos max

Os embates dessa vida são difíceis, e se não nos esforçar-mos sucumbiremos em meio a luta que está a todo tempo nos desafiando neste mundo de incertezas e inquietação. Abaixo a minha cabeça para reconhecer a minha dependência de Deus, mas olho sempre para o alto, para aquele que é o autor e consumador de nossa fé, ‘’Jeusus cristo.’’ As dores são muitas, as desilusões já se perderam em nossas contas; O tempo passou rápido, as crianças cresceram, nossos pais envelheceram e morreram; e nós olhamos as fotos antigas e vemos que a vida passou como um relâmpago que nos mostra o quanto somos passageiros. Realmente estamos aqui de passagem e não temos domínio sobre nada, nos enganamos acreditando que temos, pois dormimos e acordamso todos os dias sem saber o que nos sobreviá e aos que nos rodeiam, Assim consigo enchergar a Deus com esta submissão e a disposião de recomeçar onde parei, onde caí, onde me feri, e tentar reconstruir aquilo que com meus erros destruí. Não é facil, nem nunca foi, mas temos que prosseguir, temos que calçar as botas de nossa coragem e caminhar em espinhos se for preciso, mas temos que prosseguir! Já não me iludo como antes, desejando coisas que por décadas, não me levaram a lugar nenhum.. Em meio a estes dilemas, me ví sempre só no labirinto da desilusão, onde todos mais cedo ou mais tarde acabamos encontrando a nós mesmos, e vendo que tudo nesta vida é uma passagem muito rápida.

Clamarei teu santo nome (de heloísa Rosa)